24 de mai de 2011

Mooca em transformação

Em março fui à Mooca ver de perto as transformações do bairro, de olho nos lançamentos imobiliários do setor habitacional. O bairro cujo perfil original era de operários, fábricas e um comércio local, hoje é explorado como excelente opção de lugar para se morar: proximidade com o centro, oferta de transportes, educação em todos os níveis, comercio e serviços de qualidade e muitos (muitos mesmo) terrenos grandes à disposição de quem puder pagar por eles!

Como é o caso do terreno de 33 mil m2 na Rua Borges de Figueiredo onde a Cyrela / Magik e Abyara lançam o mega-empreendimento “Luzes da Mooca” que construirá 5 conjuntos de edifícios residenciais, sendo um deles comercial e de serviços.


Área de 33 mil m2 dividida para os 5 empreendimentos. Fonte: Cyrela, 2011.

Vale ressaltar que esta área é remanescente do terreno ocupado pela Companhia União dos Refinadores”, cujas instalações não resistiram a um possível processo de tombamento e ruíram (apenas a chaminé do complexo foi tombada). Veja artigo de Cristina Mehrtens, Giancarlo Bertini, Manoela Rufinoni e Fernanda Valentim sobre a demolição irregular de galpões do bairro.

Como pontos positivos desta transformação destacam-se a abertura de novas áreas habitacionais próximas à região central e a oportunidade de se projetar em áreas grandes, podendo “desenhar a cidade dentro da cidade” (proposição de gabaritos em consonância com a escala de transformação do bairro, criação de redes de vizinhança, criação e qualificação de espaços semi-públicos e de áreas verdes, formação de conjuntos de uso misto, permeabilidade entre os edifícios, etc.).

Como ponto negativo a aplicação da velha solução do “edifício isolado no lote” como indica o material promocional já divulgado. Ainda que haja uma tentativa sútil de se criar uma continuidade e um diálogo, ainda que virtual, entre eles, os mesmos estão separados por vegetação e descontinuidades físicas e espaciais.

Área do edifício comercial ao fundo e habitacional à direita. Fonte: Cyrela, 2011.

Outro aspecto discutível é a contínua valorização do "privado comunitário" sintetizado pela enorme lista de inutilidades oferecidas para encarecer a sua conta e o seu condomínio depois que você se mudar: espaço kids, espaço gourmet, espaço pet, espaço fitness, espaço lounge, home theatre, etc.

Impedimentos da legislação? Otimização do empreendimento? Não sabemos ao certo, mas o modelo se repete indefinidamente e a Mooca esta cheia de exemplos como este.

Espanta-nos a repetição deste modelo, principalmente quando se trata de uma área em transformação tão pujante e cheia de possibilidades como o bairro da Mooca.

Mas, mais espanto ainda nos causa o aquecimento do setor imobiliário que planeja, empreende, constrói e comercializa com uma rapidez e uma lucratividade ímpares. O metro quadrado destes apartamentos (46 a 204 m2) não sairá por menos de R$ 7.000,00.

Aproveite a onda e troque de casa! Experimente imoveis venda, você se surpreenderá com a quantidade de opções disponíveis no setor!

Nenhum comentário: