24 de mai de 2011

Mooca em transformação

Em março fui à Mooca ver de perto as transformações do bairro, de olho nos lançamentos imobiliários do setor habitacional. O bairro cujo perfil original era de operários, fábricas e um comércio local, hoje é explorado como excelente opção de lugar para se morar: proximidade com o centro, oferta de transportes, educação em todos os níveis, comercio e serviços de qualidade e muitos (muitos mesmo) terrenos grandes à disposição de quem puder pagar por eles!

Como é o caso do terreno de 33 mil m2 na Rua Borges de Figueiredo onde a Cyrela / Magik e Abyara lançam o mega-empreendimento “Luzes da Mooca” que construirá 5 conjuntos de edifícios residenciais, sendo um deles comercial e de serviços.


Área de 33 mil m2 dividida para os 5 empreendimentos. Fonte: Cyrela, 2011.

Vale ressaltar que esta área é remanescente do terreno ocupado pela Companhia União dos Refinadores”, cujas instalações não resistiram a um possível processo de tombamento e ruíram (apenas a chaminé do complexo foi tombada). Veja artigo de Cristina Mehrtens, Giancarlo Bertini, Manoela Rufinoni e Fernanda Valentim sobre a demolição irregular de galpões do bairro.

Como pontos positivos desta transformação destacam-se a abertura de novas áreas habitacionais próximas à região central e a oportunidade de se projetar em áreas grandes, podendo “desenhar a cidade dentro da cidade” (proposição de gabaritos em consonância com a escala de transformação do bairro, criação de redes de vizinhança, criação e qualificação de espaços semi-públicos e de áreas verdes, formação de conjuntos de uso misto, permeabilidade entre os edifícios, etc.).

Como ponto negativo a aplicação da velha solução do “edifício isolado no lote” como indica o material promocional já divulgado. Ainda que haja uma tentativa sútil de se criar uma continuidade e um diálogo, ainda que virtual, entre eles, os mesmos estão separados por vegetação e descontinuidades físicas e espaciais.

Área do edifício comercial ao fundo e habitacional à direita. Fonte: Cyrela, 2011.

Outro aspecto discutível é a contínua valorização do "privado comunitário" sintetizado pela enorme lista de inutilidades oferecidas para encarecer a sua conta e o seu condomínio depois que você se mudar: espaço kids, espaço gourmet, espaço pet, espaço fitness, espaço lounge, home theatre, etc.

Impedimentos da legislação? Otimização do empreendimento? Não sabemos ao certo, mas o modelo se repete indefinidamente e a Mooca esta cheia de exemplos como este.

Espanta-nos a repetição deste modelo, principalmente quando se trata de uma área em transformação tão pujante e cheia de possibilidades como o bairro da Mooca.

Mas, mais espanto ainda nos causa o aquecimento do setor imobiliário que planeja, empreende, constrói e comercializa com uma rapidez e uma lucratividade ímpares. O metro quadrado destes apartamentos (46 a 204 m2) não sairá por menos de R$ 7.000,00.

Aproveite a onda e troque de casa! Experimente imoveis venda, você se surpreenderá com a quantidade de opções disponíveis no setor!

21 de mai de 2011

Curso de valorização artística de projetos

Um dia desses pesquisando no Google por imagens de algum projeto ou lugar encontrei o blog do Eduardo Bajzek Barboza com vários desenhos de edifícios ou paisagens tratados com técnicas variadas. Daí percebi que ele é arquiteto formado no Mackenzie e além de sua atuação como arquiteto também é um excelente ilustrador e dá cursos de valorização artística para projetos.

Desenho de observação. Fonte: Eduardo Barboza.

O curso de 16 aulas (3,5 horas por aula) é voltado para estudantes ou profissionais de arquitetura e paisagismo e interessados em ilustração arquitetônica de forma geral e tem quatro módulos: plantas baixas, fachadas, perspectivas e desenho urbano. Também faz parte do curso uma atividade de desenho de observação pelas ruas da cidade.

Técnica com aquarela. Fonte: Edurado Barboza.

Recomendo aos estudantes como forma de aprenderem a exercitar técnicas gráficas para tornar seus desenhos de projeto mais atraentes visualmente.



Croqui de viagem com marcador. Fonte: Eduardo Barboza.

Entre em contato com o Eduardo pelo email: edu.barboza@terra.com.br ou na Stein.Luz onde os cursos acontecem.

20 de mai de 2011

Exposições para não perder!


Maquete da vinícola Antinori (em construção). Expo ARCHEA.

Exposição ARCHEA no MUBE até 22/06/2011.


Em comemoração à 9a. Semana de Museus que oferece ao público brasileiro de quase todos os estados mais de 3 mil eventos entre exposições, oficinas, shows, palestras, seminários, cursos e visitas guiadas destaco algumas exposições relacionadas à arquitetura que me parecem ótimas oportunidades de aprendizado e diversão em São Paulo:

ARCHEA: exposição da obra do estúdio italiano em seus 20 anos de atuação. Acontece no MUBE até o dia 22/05/2011. Eu fui, gostei muito e recomendo!

MORADA ECOLÓGICA: a exposição investiga a influência da sustentabilidade na maneira de pensar a arquitetura do séc. XXI ao redor do mundo. No MAM até 26/06/2011.

ARQUITETURA DA MADEIRA PARA O SEC. XXI: a exposição pretende situar o panorama brasileiro no uso da madeira na construção, não como alternativa, mas como recurso de linguagem e opção tecnológica sustentável. No MCB até 19/06/2011.

ARQUITETURA BRASILEIRA, O CORAÇÃO DA CIDADE: a mostra reúne projetos que, a partir do modernismo, exemplificam espaços tanto públicos quanto privados, criados para promover o encontro entre as pessoas. No Instituto Tomie Ohtake até 03/06/2011.

Para incentivá-los vale lembrar que até o dia 22/05 (por conta da semana de museus) a entrada é gratuita para estas e outras exposições participantes!! Vai lá!

10 de mai de 2011

Fuji Kindergarten


Edifício explora as sensações do mundo infantil.

A cobertura oval é um grande espaço de lazer.


Este jardim de infância para 560 crianças construído no Japão em 2007 (Tachikawa, Tokyo) pelo estúdio Tezuka Architects tem como partido ser um templo da alegria:

"As conveniências modernas privaram as crianças das sensações. Aqui pretende-se ensinar através do edifício o sentido de comunidade . Estes são valores da sociedade humana que não mudam, mesmo através das eras."

"Queremos que os filhos criados aqui possam transformar-se em pessoas que não excluem nada nem ninguém. Apesar de décadas passarem, este jardim de infância continuará a ser cheio de sorrisos de crianças correndo ao redor energicamente. Nós queremos que seja a mesma que é agora."

O edifício, projetado numa área marcada pela presença de árvores de grande porte, é uma construção oval (circunferência externa=183m e interna= 108m) que utiliza a cobertura e o pátio interno como espaço de lazer e fruição. Os espaços cobertos possuem pé direito máximo de 2.10 garantindo que a percepção das crianças seja relacionada ao seu tamanho.

As árvores podem ser escaladas e é intencional a relação entre o espaço de atividades e a cobertura de lazer.

Os espaços são divididos por móveis projetados levando-se em conta o tamanho das crianças e a condição de que possam ser por elas carregados ou removidos como se fossem blocos de montagem.

A percepção de quem passa pelo local é fantástica. É como se estivéssemos vendo através de sutis fechamentos e muitas transparências o desenrolar da infância numa grande e convidativa área aberta, com toda proteção e segurança que se pressupõe num edifício escolar!

Eu dou nota 10!

Matérias relacionadas:

2 de mai de 2011

O futuro já chegou!

No video "A day made of glass" produzido pela Corning (líder mundial em vidros especiais e cerâmicas para componentes de sistemas de alta tecnologia) é possível imaginar o cotidiano rodeado por telas e soluções de comunicação usando superfícies vitrificadas. Um show de tecnologia que eu quero ter a oportunidade de utilizar!

Mas ao mesmo tempo fica a reflexão: será que um mundo tão cheio de informações o tempo todo em todos os lugares é algo positivo?? Pense nisso! Mas antes assista ao vídeo (amplie a tela, o vídeo é em HD).