14 de ago de 2008

CINEMA NO BRASIL | Grupo Severiano Ribeiro e Atlântida Cinematográfica


Fonte: site Kinoplex, 2008.

Os CINEMAS, antes construídos nas ruas e avenidas, já foram edifícios importantes e seus espaços tanto internos quanto externos eram cuidadosos e generosos com o ritual que envolvia ir ver um filme. Não eram salas "multi-plex" e seus lindos e suntuosos "halls" de acesso não cheiravam a pipoca (hoje vendidas nos cines paulistanos a R$15,00 o saquinho + uma coca!!!!!). Havia sim, um pequeno e discreto balcão (igualmente importante no projeto do espaço) chamado de "bomboniére" que vendia drops, caramelos e talvez também vendesse pipocas (a grande vedete do ritual)!

Eu não nasci nessa época....mas sempre me interessei por cinema e as fotos estão ai para provar! As máquinas de exibição e som talvez não fossem tão potentes como as de hoje mas ir a um cinema na década de 30 em SP ou no RJ devia ser um luxo!!

Nos links indicados é possível conhecer em detalhes um pouco da história do cinema no Brasil, através de quem produzia e quem exibia os filmes (os donos de cinemas), dentre estes destaca-se o Grupo Severiano Ribeiro, que derivou na atual rede KINOPLEX (nova geração de salas de cinema).

Ribeiro Júnior, herdeiro do Grupo Severiano Ribeiro, estudou Administração em Londres, falava muito bem inglês e passou o início da década de 30 viajando pela Europa, em tempos de pré-guerra.

Em 1935, volta ao Brasil no auge dos negócios do pai, assume a programação de toda a rede de cinemas e interessado também em produzir filmes, abre a central de distribuição UCB (em 1943) e torna-se sócio da Atlântida Cinematográfica, criada por Moacyr Fenelon e José Carlos Burle.

No site da Atlântida Cinematográfica (produtora de filmes no Brasil) é possível acessar um pequeno álbum de fotos dos cinemas, dos atores dos primeiros filmes brasileiros e da repercussão de alguns filmes estrangeiros no Brasil.

Fonte: Site da Atlântida Cinematográfica, 2008.

Um comentário:

RafaNako disse...

Oi Claudia! Muito legal o post! Realmente, o cinema perdeu um pouco o encanto, o que você denomina de "ritual". Hoje as salas estão nos shoppings e o tal "ritual" tornou-se uma atividade consumista! Imagina, pipoca a R$15,00 reais!!
Me passa por favor o nome do cinema de que vc me falou, pois vou a Sao Paulo no final de semana e pretendo conhecê-lo. Abraços
Rafanako